Você sabe quais são os riscos em uma portabilidade?

Atualizado: 27 de ago. de 2021


Riscos da Portabilidade.

A portabilidade normalmente é um processo mais demorado. Do início ao final do processo pode demorar até 15 dias úteis.

Variam conforme a rodagem de folha de cada órgão.

São de 5 a 7 dias úteis para o retorno do saldo devedor, 24 horas para a quitação do saldo, e logo após a quitação do saldo devedor começa o processo de averbação da transferência da dívida. E apenas depois da averbação da dívida começa o processo de refinanciamento do contrato no banco portador da dívida que varia conforme a velocidade de atualizações entre órgãos e bancos.

Quando o banco portador faz a quitação de seu contrato, existe um “delay” para averbação da parcela a ser transferida.

Nesse período vários correspondentes e instituições que não possuem seu histórico e não sabem que você está fazendo uma portabilidade irão entrar contato constantemente com ofertas abusivas sobre uma margem que não existe, pois a parcela aparece como margem até ser totalmente transferida.



Aí vem um grave risco de perda de saldo.

Como assim???

A parcela que o banco quitou caso você faça um contrato novo com ela durante o processo de portabilidade, o cliente fica com as duas dívidas, pois a que ele acabou de fazer ao assumir um contrato novo e a que ele fez junto ao banco que solicitou a portabilidade, pois o banco entende que o cliente que faz uma margem utilizando de parcela solicitada para portabilidade, este mesmo está agindo de má fé, e a dívida cujo o banco fez a quitação para transferência será cobrada devidamente ao cliente.


É vantagem fazer uma portabilidade?


Isso varia, pois os bancos estão sempre buscando formas de manter o cliente com refinanciamentos atrativos.


Em vários casos a portabilidade traz uma taxa atrativa porem para que seja realmente vantajosa para o cliente existem algumas regrinhas a serem obedecidas, como a quantidade mínima de parcelas pagas, porque não adianta mudar de banco apenas por mudar se não fizer diferença para o cliente.

Necessário ter pelo menos 12 parcelas pagas para valer a pena.

Observar a taxa do seu contrato, pois existe um limite de redução de juros, assim como existe um teto máximo de juros no consignado, também existe um teto mínimo.

Isso significa que você pode reduzir a taxa de seu contrato até um limite onde não existe mais como mexer em seu contrato.

Tenha consciência que ao jogar seu contrato em uma taxa como essa você estará “queimando o seu contrato”, não terá mais como refinanciá-lo ou porta-lo.


Infelizmente muitos correspondentes não falam sobre isso com seus clientes, para bater suas metas apenas oferecem o produto, mas não explicam esses tipos de risco.


Não tem problema querer a menor taxa possível, mas tenha ciência que tudo tem um limite e que ao alcançar esse limite (seja contrato novo, refinanciamentos e portabilidades, independente do formato do contrato, mas sim da taxa solicitada).

Você cliente pagará esse contrato até o fim sem poder mexer nesse contrato até o final estabelecido na contratação.

Então faça consciente.

Pense se realmente num futuro próximo um refinanciamento ou portabilidade daquela parcela será necessário.

Sempre é bom ter saber que temos um crédito disponível para nos ajudar em casos de emergência, você não concorda?

Pense bem antes de "queimar" um contrato de consignado.


Faça seu consignado de forma correta!

Seja consciente.


Precisa de um empréstimo?

Faça um simulação com a Mastercred.


#CréditoConsciente

#Mastercred

#Fique ligado

#CorrespondenteConsciente








113 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo